Guitarrista Tom Kaulitz discute novo álbum do Tokio Hotel, “Kings of Suburbia”

Guitarrista Tom Kaulitz discute novo álbum do Tokio Hotel, “Kings of Suburbia”

Tom Kaulitz fez uma entrevista para a Guitarworld falando sobre o novo álbum, turnê e inspirações musicais. Veja a seguir a tradução:

Após o sucesso do álbum de estréia em 2005 do Tokio Hotel, Schrei, os gêmeos Bill e Tom Kaulitz, juntamente com o baixista Georg Listing e baterista Gustav Schafer-se tornaram a banda de rock alemã de maior sucesso dos últimos 20 anos.

Tokio Hotel construíram uma enorme base de fãs e venderam mais de 7 milhões de álbuns no mundo inteiro.

Mas em 2009, depois de anos de gravação implacável e da turnê, a banda decidiu fazer uma pausa e mudou-se para Los Angeles para encontrar uma nova inspiração. O resultado é o terceiro álbum da banda, Kings of Suburbia.

Do propulsivo e sensual “Love Who Loves You Back” para o cativante, guitarrística “Girl Got a Gun”, Kings Of Suburbia combina composições maduras com uma produção polida.

Eu falei recentemente com o guitarrista Tom Kaulitz sobre Kings of Suburbia, sua educação musical e muito mais.

Guitar World: Há alguns anos, a banda fez a mudança para Los Angeles. Qual foi a razão por trás disso?
Nós gravamos nosso último disco em 2009 e, posteriormente, decidimos que precisávamos fazer uma pausa. Queríamos ir para uma cidade diferente para encontrar inspiração e também começar um pouco de uma vida privada. Nós tínhamos estado na estrada desde que éramos 15, apagando registros constantemente e estar fora da estrada em turnê. Por isso, decidimos ir para Los Angeles e produzir o novo álbum lá.

Como você descreveria o Kings of Suburbia?
É um pouco mais eletrônico do que os álbuns anteriores. Nós brincamos muito com novos sons e programação, o que era algo que nunca tinhamos feito.

Todo o nosso processo de composição mudou um pouco quando começamos a escrever para esse álbum. Pela primeira vez em nossa carreira, nós realmente tivemos o tempo para fazer as coisas da maneira que queríamos. Foi um desenvolvimento para nós. Nós construímos um estúdio em casa e eu comecei a programar e estabelecer alguns riffs. Em seguida, reunimos-nos com alguns produtores e compositores, e dissemos: “OK, vamos ver onde isso vai.” E ficou surpreendente. Estamos muito orgulhosos deste álbum.

Você mencionou o processo de composição. Você pode me dizer um pouco mais sobre isso?
Ele muda o tempo todo. No passado, nós normalmente levávamos nossas violões, sentávamos juntos e improviso e, em seguida, começávamos daí. Para este álbum, nós realmente escrevemos na trilha. Na maioria das vezes eu teria uma demo que estava indo muito bem e os outros depois vinham com melodias.

Você tem planos de fazer uma turnê em apoio do novo álbum?
Sim. Nós já estamos planejando turnê para a maior parte do próximo ano. Vamos começar na Europa e, em seguida, vamos tocar nos EUA. Nós já temos algumas datas previstas para o início do próximo ano e no verão. Vamos tocar em toda a Ásia, América do Sul e Europa.

O que você pode me dizer sobre sua formação musical?
Nós crescemos em uma pequena cidade na Alemanha Oriental e sempre tivemos a música em torno de nós. A partir do momento em que eu era capaz de tocar três acordes na guitarra, nós subimos ao palco imediatamente para apresentá-lo. Nós sempre soubemos que queríamos fazê isso profissionalmente, mas cresceu em uma área onde não havia nenhuma cena de música real. Então nós fomos para a escola com a idéia de possivelmente assumir um trabalho diferente, mas as coisas só decolaram. Estamos fazendo isso agora há 14 anos, e tem sido incrível.

Quem eram algumas de suas influências musicais?
Eu sempre fui um grande fã de Joe Perry e Steven Tyler. O primeiro álbum que ganhei do Aerosmith foi Big Ones, e eu me lembro de ouvi-la durante o dia todo, todos os dias! [risos]. Meu padrasto também foi para a música e tocou guitarra e nos apresentou a AC / DC. AC / DC e Aerosmith foram as bandas com as quais nós crescemos e amamos. Nós nos encontramos recentemente eles [Tyler e Perry] em um show, e foi um sonho tornado realidade.

O que te excita mais sobre essa próxima fase de sua carreira?

Eu fico mais animado com a turnê no próximo ano. A música mudou muito ao longo dos anos. Hoje em dia, é tudo sobre a turnê. Adoramos estar em cima do palco e estamos ansiosos para tocar. Estivemos praticamente em todos os lugares do mundo, exceto a Austrália. Então, nós estamos esperando para começar chance de tocar lá também. Touring é a coisa que nos mantém indo!

Fonte: Guitarworld.com
Tradução: Conexão Tokio Hotel Brasil

Conecte-se com sua rede social para deixar seu comentário